Sexteto La Mejorada “Villalar” 2011
Tierra de León, Espanha
Sexteto La Mejorada “Villalar” 2011
Um blend de Tempranillo com Cabernet Sauvignon, este favorito dos críticos internacionais mostra uma qualidade e complexidade difícil de acreditar
Organico

91

gp

91

js

Produto indisponível
Sobre o produto
Teor
alcoólico
14,0%
Descanso
60 min.
Temperatura
15°

Villalar recebe seu nome em homenagem ‘a vitória que o rei Carlos I infringiu às tropas rebeldes que queria sua abdicação nos campos de Villalar.

O La Mejorada “Villalar” é mesmo uma vitória, uma amostra da qualidade quase inacreditável dos vinhos de La Mancha.

Um corte de Tempranillo com Cabernet Sauvignon, tem potência, concentração, equilíbrio.

Logo de cara o Cabernet se expressa com cassis, licor, alcaçuz e um leve herbáceo. Mas o frutado Tempranillo mostra seu lado jovial com frutas vermelhas, frescas e abundantes.

Robusto, foi polida nos 12 meses que passou nas barricas pequenas e novas de carvalho francês e americano. Os sabores secundarias da barrica, cacão e pimenta preta, são bem integrados. Uma mineralidade supreendente, grafite, pedra quebrada, remete os vinhos da Médoc, em Bordeaux.

Apesar dos 6 anos de idade, evoluiu extraordinariamente bem, é uma criança ainda. Melhorará na guarda por 8 - 10 anos, isso sem dúvida.

Um excelente tinto, entrega muito além do que uma esperaria de um vinho com valor tão acessível.

91 Pontos - James Suckling - "Bem feito, com aromas de berries selvagens, nozes, especiarias. Corpo médio para encorpado, taninos sedosos. Lindo, lindo."

91 Pontos - Guia Peñin

Gold Medal Berliner Wein - Votado "Melhor Compra"

História

O nome da propriedade tem sua origem no século XIV, quando María Pérez, vizinha de Olmedo, recebe uma melhoria na herança de seus pais que incluiu as terras onde hoje estão localizadas as Bodegas e Viñedos de La Mejorada.

Um pequeno santuário foi erguido para Virgem Maria. Foi o contador de Fernando I, Velasco Hernández Becerra, que construiu a capela para servir como um panteão familiar. A capela é um exemplo típico da influência da cultura islâmica.

São 54 hectares de vinhas de cultivo orgânico, numa altitude de 600 metros, onde o clima continental gera um clima seco, quente de dia e frio a noite, perfeito para o lento amadurecimento das uvas.

D9lwzdolcakifeyv7lpu
Curador(a)
Manuel Luz
Produtos relacionados