Pinhal da Torre "Quinta de São João" Syrah 2008
Tejo DOC, Portugal
Pinhal da Torre "Quinta de São João" Syrah 2008
Para Parker "o Pinhal da Torre faz o melhor Syrah de Portugal." Este, já com 10 anos de idade, está entrando no seu ápice.

92

rp

de R$ 420,00
Shipping Frete
grátis*
Checkout
seguro
Digicert Norton
Sobre o produto
Teor
alcoólico
14,5%
Descanso
60 min.
Tempo
de barrica
20 meses
Temperatura
15°
Uva/Corte
Syrah

A Pinhal da Torre é, sem dúvidas, a propriedade mais bem sucedida da região do Tejo, antiga Ribatejo (desde 2009).

Robert Parker, o crítico de vinhos mais louvado de todos os tempos, é um dos maiores entusiastas dos rótulos desta vinícola, acredita que ela produz os melhores vinhos da região e entre os melhores Syrah de Portugal.

A Pinhal tem uma vinha em Alpiarça, onde cultiva videiras plantadas entre 1947 e 1960, chamada Quinta de São João. Em 1990 foram plantadas uvas Syrah de cepas encomendadas do Rhône.

O Syrah 2008 Quinta de São João foi envelhecido por 20 meses em carvalho francês e depois retido por mais 18 meses em garrafa.

O sabor é complexo, sedoso, bem equilibrado com taninos maduros, domados, acidez de menta, e fruta no fim de boca. O belo tinto tem uma camada de profundidade e com 10 anos está em plena forma. Elegante, com leves traços de carvalho francês muito bem integrado na fruta, este um vinho que persiste em boca por 20 segundos. Que magnífico!

Para acompanhar uma paleta de cordeiro com couscous marroquino.

92 Pontos - Wine Advocate (Robert Parker) - "O Paulo Saturnino Cunha pretende, obviamente, ser o primeiro produtor de Syrah em Portugal, investindo toneladas de dinheiro e tempo na tentativa de fazer bons produtos nesta região anteriormente ignorada de Portugal. Eles valem bem a pena dar uma boa olhada, pois são excelentes."

Recebeu também 18.5 pontos (de 20) pela Revista de Vinhos de Portugal, onde é celebrado como um vinho "da melhor vinícola do Tejo".

História

Localizada no coração do Tejo, a Pinhal da Torre possui uma adega construída nos anos de 1946, que é única pela sua construção e arquitetura.

Reconhecida como a capital do gótico, a região do Tejo, cuja grande cidade é Santarém, tem inúmeras ruínas que remontam ao século XI. Afirmam alguns historiadores que esta é a região onde Portugal surgiu durante a baixa Idade Média.

A zona do Tejo, poucos quilômetros longe do mar, tem algumas áreas abençoadas para viticultura e que conhece o renascimento desde os anos 2000. Neste período houve grande propagação da Touriga Nacional, Syrah e até mesmo Cabernet Sauvignon, o que deu um toque moderno aos vinhos locais, inclusive deliciosos e frescos brancos.

A Torre que está no nome do vinho é uma referência à Torre das Cabaças, a construção que restou da muralha medieval de Santarém, também conhecida como Torre do Relógio. Foi feita no reinado de D. Manuel I, entre 1495-1521.

D9lwzdolcakifeyv7lpu
Curador(a)
Manuel Luz
Produtos relacionados