Quinta da Romaneira Porto Branco
Douro, Portugal
Quinta da Romaneira Porto Branco
Um dos mais interessantes Ponto Branco que já provamos. Um espetáculo de fruta seca e especiarias no paladar meio seco.
de R$ 160,00
Shipping Frete
grátis*
Checkout
seguro
Digicert Norton
Sobre o produto
Teor
alcoólico
19,5%
Tempo
de barrica
36 meses
Temperatura
10°
Uva/Corte
Gouveio
Malvasia
Rabigato

Feito com blend de Malvasia, Gouveio, Rabigato e Códega, este vinho combina passagem por carvalho (3 anos). Um lindo branco fortificado que vale a pena ser degustado. Um dos mais interessantes que temos provado ultimamente.

Exala, na taça, maçã seca, chá de camomila, casca de laranja e um "q" de cera de mel. O sabor não é seco e nem doce, fica no meio, um extra dry. Bom para beber puro, frio - não gelado, por favor - com frutas secas ou torta de noz pecã.

Depois de uns minutos aberto é puro marzipan e casca seca de laranja. Um vinho para meditação, mas acompanhar um bom grelhado de barriga de porco ou carnes brancas defumadas.

História

A história da Romaneira tem seus registros mais antigos em documentos dos séculos XVII e XVIII, período durante o qual a propriedade pertenceu a três famílias distintas: Sousa Guimarães, cujas iniciais surgem na porta da Quinta com a data de 1854, Lacerda, D. Clara de Lacerda deu o seu nome a uma das casas da propriedade, e Monteiro de Barros, que, em 1940, ampliou a quinta para o tamanho que hoje conhecemos.

Considerada como uma das principais quintas do Douro, a Romaneira aparece representada no mapa do Douro elaborado pelo Barão de Forrester. São feitas menções à propriedade em obras de grandes autores do século XIX, como Henry Vizetelly, que se dedicava ao estudo do Vinho do Porto. Os Vinhos da Quinta da Romaneira foram os primeiros Vinhos do Porto a ser leiloados pela famosa leiloeira Christies, em 1872.

D9lwzdolcakifeyv7lpu
Curador(a)
Manuel Luz
Produtos relacionados