Calvet Rosé d'Anjou "Melodie par Doux" Loire 2018
Loire, França
Calvet Rosé d'Anjou "Melodie par Doux" Loire 2018
Um dos rosés mais interessantes disponíveis no mercado nessa faixa de preço.
Produto indisponível
Sobre o produto
Teor
alcoólico
12,5%
Temperatura
10°
Uva/Corte
Cabernet Franc
Gamay

O vinho Anjou é produzido na região do Vale do Loire , na França, perto da cidade de Angers.

Dentro da região de Anjou tem várias denominações de origem (AOCs) responsáveis ​​por um amplo espectro de vinhos, incluindo tintos e branco, mas é o rosé a sua estrela.

O especialista inglês, autor de inúmeros livros sobre vinhos, Tom Stevenson, descreve Anjou como sendo um "microcosmo do Vale do Loire", devido a imensa variedade de solos e microclimas na pequena região às margens do maior rio da França, rodeada de castelos medievais.

O Rosé d’ Anjou Calvet 2018 é um belo exemplar desse terroir riquíssimo. A garrafa é um clássico por si só, com seu esbelto corte de gargalo comprido.

O vinho tem um rosa clarinho, quase alaranjado. O aroma de fruta fresca e notas cítricas também revela aos poucos um delicioso floral, resultado do corte da Cabernet Franc com Gamay. O sabor é leve, perfumado, frutado, com acidez suculenta que refresca e abre o apetite. Um lindo vinho, sem dúvida.

Para harmonizar sugerimos guacamole, tabule com carne branca e, por que não, apenas lendo seu livro favorito?

História

Jean Marie Calvet, nascido em 1799 em uma pequena aldeia no Vale do Rhône, era apaixonado por vinho quando adolescente. Trabalhou nas vinhas do Rhône para ajudar o pai que possuía um vinhedo. Adulto decidiu criar a sua empresa e viajar pela França para adquirir experiência.

A empresa se estabeleceu e cresceu, mas não no Rhône, mas em Bordeaux. E. nos idos de 1930, dois jovens enólogos, Jean Ribéreau-Gayon e Emile Peynaud, se uniram à Calvet e começaram a revolucionar a forma como se tratar o vinho. Anos depois ambos enólogos foram considerados como os pais da enologia moderna na França e no mundo.

Na década de 1960, um incêndio danificou boa parte do edifício onde a empresa nasceu em Bordeaux, e essa foi uma oportunidade para os Calvet investirem num edifício moderno dedicado ao engarrafamento.

Hoje, o vinho da Calvet é servido na celebração do prêmio Nobel, e, aqui no Brasil, é o vinho servido no consulado francês para celebrar a festa nacional de 14 de julho.

D9lwzdolcakifeyv7lpu
Curador(a)
Manuel Luz
Produtos relacionados