Bodegas RE Cabergnan 2009
Valle del Maule, Chile
Bodegas RE Cabergnan 2009
Para Parker, este é um projeto que "devemos seguir de perto". Conheça a obra prima de um dos produtores mais promissores de Chile.
Best seller badge

90

rp

93

ds

Produto indisponível
Sobre o produto
Teor
alcoólico
14,0%
Descanso
60 min.
Tempo
de barrica
14 meses
Temperatura
15°
Uva/Corte
Cabernet Sauvignon
Carignan

A Bodegas RE é uma butique de vinhos, um projeto autoral. Ao ser questionado sobre o curto nome de sua vinícola, Pablo Morandé diz que a Bodegas RE foi inspirada em algumas das palavras que norteiam sua vida “REcriar, REinventar e REalizar.

O Bodegas RE Cabergnan 2009 é um tinto de Cabernet Sauvignon (80%) e Carignan (20%), de vinhas velhas com mais de 60 anos.

A prova de como é possível alcançar um equilíbrio estimulante entre práticas tradicionais e modernas, afinal, é fermentado em ânforas em forma de grandes cabaças de alvenaria como se fazia no século 19. Depois é afinado por 14 meses em barricas de carvalho francês.

A garrafa é pesada, lacrada com cera. No nariz se abre em cânfora, menta, ervas aromáticas. Em boca a acidez é maravilhosa, o vinho vibrante, cheio de frutas silvestres e pimenta-do-reino preta. Tem corpo médio, paladar sedoso, afinado pelo tempo. A persistência em boca e longa, 15 - 20 segundos.

Destacado com 93 pontos pelo Guia Descorchados e 90 por Robert Parker, que anotou em seu site "o vinho oferece aromas de ervas balsâmicas e frutas pretas, fumaça e grafite, com um paladar de sabores balsâmicos, textura concisa e vibrante e muito boa frescura. Impressionante".

Lindo pra harmonizar com fraldinha ao molho madeira, kafta de cordeiro ou com queijo curado da Serra da Canastra.

História

A Bodegas RE foi criada por Pablo Morandé (ex-Viña Morandé e ex-Concha y Toro) no Valle de Casablanca em 2012 com alguns vinhedos em Casablanca e outros em Loncomilla, no Vale do Maule. Morandé, entre outros feitos, foi o grande gênio das vinhas em Casablanca. O pioneiro em plantar uvas numa área ignorada até 1990. Hoje é uma das mais louvadas para vinhos brancos e tintos leves.

Todas as vinhas de Maule são cultivadas a seco, sem irrigação e foram plantadas nos anos 50. Os vinhos fermentam em antigas ânforas de terracota, grandes cubas de alvenaria, de 12.000 litros, em formato de pêra com uma camada externa de argila que nos faz lembrar de uma grande ânfora grega. Em determinadas safras usam também barricas de madeira. Mas "nenhum vinho é igual, seguimos a natureza, ou seja, um ano muito maduro não usamos madeira, num ano mais frio, corrigimos a rota com um pouco de carvalho francês", diz Pablo Morandé.

D9lwzdolcakifeyv7lpu
Curador(a)
Manuel Luz
Produtos relacionados