O sucesso da Merlot no Brasil

Descubra o poder e sucesso que a uva Merlot tem conquistado no Brasil!

Descubra o poder e sucesso que a uva Merlot tem conquistado no Brasil!

O paranaense Dirceu Vianna Junior, único Master of Wine do Brasil e radicado há muitos anos em Londres, reuniu em 2010 um grupo de 40 profissionais internacionais, entre eles 15 Masters of Wine, para uma degustação às cegas de vinhos com a variedade Merlot produzidos em 11 países diferentes.

O resultado foi impressionante: entre os 10 melhores classificados pelos especialistas, oito eram brasileiros. Esse é mais um de tantos reconhecimentos importantes obtidos pelos Merlots produzidos no Brasil por sua alta qualidade. E qual é o segredo de tanto sucesso?

Primeiro tem a questão da adaptação da uva ao lugar, ao tipo de solo, de clima e todas as condições que envolvem o cultivo da uva. Neste quesito o relacionamento da Merlot com o Brasil vai muito bem! Tanto que se diz que ela está se tornando a uva emblemática dos vinhos brasileiros, assim como a Malbec é para a Argentina ou a Carménère para o Chile.

Na realidade, este sucesso tem sido conquistado sobretudo pelos Merlots produzidos especificamente na Serra Gaúcha, a maior e mais tradicional região vinícola do Brasil e onde boa parte dos vinhedos já produzem há mais de duas décadas, tempo suficiente para esta adaptação e para que as vinhas gerem uma produtividade adequada para obter uvas da mais alta qualidade.

A Serra Gaúcha é conhecida por seus altos índices de chuva, que variam de safra para safra e que, nos anos mais chuvosos, prejudica o pleno amadurecimento de muitas variedades, como a Cabernet Sauvignon. A Merlot tem algumas características que a fazem sofrer menos com esta condição climática. Ela é mais resistente e amadurece mais cedo que a maioria das outras variedades tintas, ficando pronta para a colheita antes dos períodos de maior incidência de chuva, o que favorece o pleno amadurecimento de todos os elementos importantes de um bom vinho, como teor de açúcar, polifenóis e antocianos (os que dão cor ao vinho).

Tem também o saber fazer dos produtores, que já acumulam conhecimento e experiência sobre esta relação da uva com a terra, que combinadas com as técnicas adequadas de elaboração, gera, vinhos da mais alta qualidade e, o que é melhor, com personalidade brasileira.

Tudo isso somado faz com que em praticamente todas as safras seja possível fazer bons vinhos desta variedade. Naquelas em que a natureza é pródiga, trazendo tempo seco e ensolarado, caso da mítica safra de 2005, então somos brindados com Merlots brasileiros realmente fantásticos.

Em todas as safras são sempre vinhos muito prazerosos de se beber. O paladar é macio por conta de taninos bem redondos. É típico da Merlot uma boa acidez, que com o bom amadurecimento das uvas fica muito bem equilibrada com álcool moderado, em torno de 12% a 13%. Estas três características juntas permitem beber vinhos jovens e já bem equilibrados, quando mostram aromas de frutas, como cerejas e ameixas, mescladas a especiarias e aos tostados, quando amadurecidos em madeira.

Diferentemente do que muitos acreditam, os vinhos brasileiros envelhecem muito bem, sobretudo os merlots. Este tripé de taninos, acidez e álcool permite que o vinho permaneça muito tempo evoluindo em garrafa, revelando depois de alguns anos vinhos ainda frescos, trocando as frutas frescas por secas e pelas compotas.

Por Sonia Denicol

Harmoniza com esta matéria:



92

js

Bordeaux, França

Château Bolaire Bordeaux Supérieur 2009

Campanha Gaúcha, Brasil

Salton Reserva Privada "Intenso" Merlot 2013

Mendoza, Argentina

Bodegas Norton Late Harvest Tinto 2017 (750ml)

92

ws

93

rp

95

js

Pomerol, França

Château Nenin Pomerol 2014