Não tenha medo do vinho branco!seja-um-craque

Pensa que não gosta de vinhos brancos? Isso é porque ainda não os conhece! Leves e super refrescantes, são acompanhantes perfeitos para os dias quentes, abafados.

Nosso clima tropical favorece - e muito - a apreciação dos brancos. O mais curioso de tudo isso é que a maioria das pessoas os encara com preconceito. Vai entender, né?

Há quem insista em tomar sempre vinhos tintos encorpados, mesmo com temperaturas mais elevadas. Acontece que eles dificilmente trarão o frescor dos brancos e, naturalmente, não agraciarão a boca com a mesma leveza. Claro que nem todo tinto é pesado, assim como nem todo branco é leve.

Cada uva tem suas características próprias que definem o caráter do vinho depois de fermentadas. Não sabe por onde começar? Foi pensando nisso que elegemos as principais variedades brancas e apresentamos as suas arestas mais comuns. Que uvas têm mais a ver com o seu paladar? Descubra!

Para começar, as uvas mais leves

Sauvignon Blanc: Frutas tropicais, como maracujá e abacaxi, emprestam frescor ao vinho. Boa acidez e leveza também são características marcantes! Além disso, grama molhada, ervas e pera também podem aparecer, fazendo com que o vinho seja ainda mais suave. Com a idade, ganha notas de pimenta-verde e vermelha.

Pinot Grigio: Já ouviu falar na mineralidade de um vinho? É quando você sente, por exemplo, cheiro de pedra molhada, pó de giz, grafite… A Pinot Grigio é uma das melhores representantes dessa característica que, a princípio, pode parecer estranha, mas acabam encantando a todos. À boca, desce tão facilmente quanto a água, outro dos nossos elementos minerais. Se quer um vinho para beber sozinho, sem precisar harmonizar nem nada, jogando papo fora, Pinot Grigio é a escolha!

Quando ganhar peso

Chardonnay: A rainha das uvas brancas. Curiosamente, a principal uva do Champagne é também uma das menos aromáticas. Acontece que ela, por sorte, absorve muitas características do solo, o que a torna extremamente flexível. Somente na França, pode ser mineral, quando em Chablis, é complexo, seco e amendoado em Mersut. Climas quentes conferem ao vinho notas frutadas, principalmente de abacaxi e maracujá. Já os frios, de melão maduro e limão. De maneira geral, costuma envelhecer em madeira, o que confere ao vinho toques de manteiga, defumado, canela e nozes.

Chenin Blanc: É a França, sua terra natal, que produz os vinhos mais variados da casta - dos secos e ácidos aos mais doces. Na África do Sul, onde a variedade é conhecida por Steen, eles são mais suaves e ganham um toque especial de pera. Com boa acidez, apresentam ainda maçã, marmelo, nozes, mel e cevada. No nariz, um inconfundível buquê de acácias, madressilvas, capim-limão, grama e palha.

As mais versáteis

Riesling: Dos mais secos aos mais doces Rieslings, é possível sentir sua característica mais forte: as flores. Junto a elas, frutas amarelas a ponto de amadurecer - abacaxis, carambolas, pêssegos, damascos… Talvez uma das uvas brancas que mais se diferencia quando tem complexidade, atingindo até notas petroláceas, como petróleo, querosene e borraca - dá para acreditar? De longe, a uva preferida da Jô e de muitos dos membros da nossa equipe, uma das que mais nos surpreende a cada dia!

Gewürztraminer: Apesar de parecer um trava língua, seu nome já diz tudo: “picância”. Ah, para quem não sabe, em alemão significa “uva apimentada do Tramin”, região entre a Itália e Alemanha. Essa característica lhe confere título de melhor vinho para harmonizar comida asiática, da Tailândia e Índia. As flores que encantam no nariz aparecem na boca ao lado de gengibre, canela, lichia, manga, laranja e muita, mas muita pimenta-preta.

Doce final

Semillón: Já ouviu falar em Sauternes? Nada mais é do que um dos estilos de vinho mais famosos do mundo. Trata-se de uma denominação de Bordeaux onde as uvas são atacadas pela “podridão nobre”, o que torna seus vinhos naturalmente doces, mas elegantes, sem enjoar. São os vinhos de sobremesa mais famosos do mundo, sem dúvidas! Sua uva principal? A Semillón!

Moscatel: Definitivamente, a Moscatel é a uva para quem prefere os vinhos doces. Não que ela seja propriamente doce, mas até em seus vinhos mais secos, é possível sentir a doçura emprestada de tantas flores. Melão, uvas passas, pêssego… E a lista é longa! Tudo isso com uma leveza incrível, boa acidez e baixa graduação alcoólica.

E agora, já sabe por qual vinho branco começar? Tem alguma uva ou estilo que quer conhecer melhor?

COMPARTILHE


Artigos relacionados

Se você fica com receio de trocar os vinhos tintos pelos brancos, leia nesse post algumas características das uvas e dos vinhos brancos em geral.

DESCUBRA

Localizada ao leste no Vale do Loire, Sancerre, é uma das regiões vinícolas mais antigas da França, famosa por seus Sauvignon Blancs.

DESCUBRA

Às vezes, temos certa dificuldade em escolher um vinho, seja para harmonizar com um delicioso prato, seja para compor um momento com a família ou amigos.

DESCUBRA