Não tenha medo das taças

Acredito que muita gente já passou por isso: você começa a se interessar por vinhos, vai conhecendo e descobrindo, começa a juntar garrafas pelos móveis, de repente já tem o começo de uma adega em casa... É só na hora de abrir a primeira delas que a gente se dá conta: e as taças?

Nesse momento, é hora de agradecer àquele antigo jogo de cristal que a avó guarda desde sempre na estante da sala. Ao abrir a porta, porém, vem o segundo desespero: qual é a certa?

Se tem algo que importa, nesse caso, é a aparência. Das mais baixinhas e bojudas para as mais altas e esguias, cada uma tem uma função diferente. Não é uma questão de escolher a mais bonita ou estilosa, mas a mais apropriada.

São várias a taças encontradas ao redor do mundo, algumas bem exóticas. Mas existem algumas que todo amante de vinho deve conhecer para se dar bem no dia a dia. Conheça as principais delas (confira pelos números na foto!)

Taças tamanhos

1- Brandy

Como o próprio nome já diz, é a taça ideal para conhaque, também usada para alguns tipos de licores e derivados de vinho (como o vermute). Seu bojo (a largura da taça) é
grande, ajudando a girar e aerar a bebida. Por outro lado, a borda (abertura superior) é estreita, o que faz com que os aromas licorosos se intensifiquem.

2- Porto

Indicada para vinhos de sobremesa e fortificados. É conhecida por este nome graças a um dos fortificados que mais se popularizou pelo mundo: o vinho do Porto. É mais magrinha porque essas variedades são consumidas em quantidades menores. A borda pequena segue o mesmo princípio da taça brandy, para intensificar os aromas mais doces. Além disso, o fato de ir afinando a partir da base ajuda a controlar o fluxo da bebida, que segue diretamente para a ponta da língua, na parte que melhor percebe o doce.

3- Espumante (flûte)

Esta é uma das taças que todo mundo sabe só de olhar (talvez por causa dos filmes). Mas o estilo alto e fino da taça de espumantes não é só por elegância. Sua principal função é preservar o perlage (as bolhas) e efervescência dos espumantes. A borda fina controla a quantidade que chega à boca e direciona perfeitamente os aromas para o nariz. A haste costuma ser longa para evitar o contato das mãos com o bojo (nossa mão é quente por natureza e facilmente esquentaria o vinho, comprometendo seus cheiros e sabores).

4- Sherry

É a taça ideal para os vinhos espanhóis jerez (também conhecidos como xeres ou sherry), os fortificados mais antigos do mundo. Seja doce ou seco, a tradição desde os tempos antigos é bebê-lo em taças pequenas de lados quase retos (não é preciso girar o jerez, basta deixa-lo seguir seu caminho até a boca uniformemente).

5- Borgonha

Com o bojo maior, geralmente redondo, tem o formato que muitos chamam de “balão”. Os vinhos da Borgonha costumam ser muito complexos, por isso precisam de oxigênio para liberar seus aromas. A borda bem aberta e a base larga aumentam a superfície de vinho que entra em contato com o ar. Além dos Pinot Noirs da região, a taça recebe bem os espanholíssimos tintos de Rioja e os mais clássicos italianos - Barbera, Amarone, Nebbiolo.

6- Bordeaux

É a maior e mais famosa taça de todas (um pouco mais magra que a Borgonha apenas). Muitos utilizam como curinga para vinhos tintos, pois eles se beneficiam de seu bojo largo e alto, que facilita a “giradinha” e a oxigenação de que as notas mais complexas dos tintos tanto precisam. A aba superior pode ser mais ou menos aberta – quanto menor for, mais se sentem os sabores frutados. É a melhor taça para beber as uvas que vêm de Bordeaux: Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Malbec, entre outras.

7- Branco

Os vinhos brancos são bebidos em temperaturas mais baixas, por isso a haste mais longa (que evita o contato com a mão) e o bojo bem menor (que diminui as trocas de calor). A aba estreita favorece a doçura e os sabores frutados, maiores trunfos dos vinhos brancos. Também é a melhor taça para os rosés, pelos mesmos motivos.

8- ISO

É a taça de degustação (a sigla em inglês se refere à Organização Internacional de Padrões). É uma taça curinga, funciona para todos os tipos de vinho. Bojo médio, aba média, haste média. Deixa a desejar apenas nos vinhos mais complexos – pode ser mais difícil notar suas notas.

E aí, já sabe quais taças ter em sua adega?

Conhecia todas essas taças? Vale a pena estar sempre preparado para qualquer vinho. Já tem seu conjunto em casa?



Bordeaux, França

Château des Antonins Bordeaux Blanc 2015 (Orgânico)

Best seller badge

Bordeaux, França

Veuve Alban Blanc de Blancs Brut

Douro, Portugal

Taylor's Porto Fine Ruby