As diferentes faces do vinho do Porto

O Vinho do Porto é, sem dúvida, o mais famoso vinho português, e pertence ao panteão dos grandes vinhos do mundo. São originais do Douro, no norte de Portugal, distante cerca de 50 km da cidade do Porto. A região é legalmente dividida em três sub-regiões: Cima Corgo, Baixo Corgo e Douro Superior. A cidade de Pinhão é o centro nervoso da denominação, e de onde saem os vinhos de mais qualidade.

O Porto é um vinho fortificado, também conhecido como “generoso”, cujo processo de fermentação é interrompido pela adição de aguardente vínica, o que resulta numa bebida doce e com teor alcoólico entre 19 – 22% de álcool.

São mais de 80 as variedades de uvas permitidas para fazer o Porto, e entre elas se destacam a Touriga Nacional, Tinta Barroca, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Tinta Cão. Destas, a mais nobre é a Touriga Nacional, hoje considerada a maior uva tinta de Portugal.

Os britânicos desempenharam papel importante na história deste vinho, e foram os responsáveis pela sua regulamentação e distribuição em todo o mundo. A influência inglesa pode ser observada nos nomes de algumas das principais vinícolas (Taylor’s, Graham’s, Dow’s) e, nas categorias dos vinhos, - onde também prevalece a nomenclatura em língua inglesa - Ruby, Tawny, Vintage.

Algumas casas de Porto possuem mais de 300 anos de idade, como a Croft, de 1678, e a Taylor, de 1692. A região foi demarcada oficialmente em 1756, pelo Marquês de Pombal, no esforço de assegurar a origem do vinho e garantir a qualidade do produto.

Tecnicamente existem dois tipos de Vinhos do Porto, o Ruby e o Tawny.

O Porto Ruby é engarrafado com pouco tempo de amadurecimento em carvalho, sendo envelhecido em garrafa. O topo da pirâmide desta categoria é o Porto Vintage, produzido com uvas de uma única safra, e de uma única propriedade. É considerado o melhor vinho português, e um dos mais longevos do mundo. É possível encontrar Porto Vintage com mais de 100 anos, impressionantemente vivos e calorosos.

O Porto Tawny é feito com as mesmas uvas do Ruby, e com a mesma técnica. A diferença entre eles é que o tipo Tawny é envelhecido em tonéis por vários anos antes de ser engarrafado e, portanto, é mais evoluído e de coloração mais clara. Não há diferenças de produção entre os dois tipos, o que muda é o tempo de envelhecimento. O Tawnys mais nobres são os que destacam idade: 10 anos, 20 anos, 30 anos, e 40 anos. O topo da pirâmide é o Tawny Colheita.

Ricos, doces, encorpados, nobres, podem ser provados puros “para meditação”, ou acompanhando chocolate amargo, queijos fortes e até mesmo um bom charuto.

Manuel Luz



94

rp

94

we

Alentejo, Portugal

Adega Cartuxa "Pêra Manca" 2011

Best seller badge

Alentejo, Portugal

Herdade do Esporão “Monte Velho” 2016

Douro, Portugal

Quinta do Crasto Douro 2016

Setúbal, Portugal

Adega Pegões Tinto